NEGOCIE COMO O ROSS, DE FRIENDS

Em meio a rumores sobre uma nova reunião do elenco de Friends — um dos maiores sucessos de audiência da TV americana — vale lembrar uma passagem emblemática ocorrida logo no início da série, quando ela ainda tomava corpo nos lares americanos:


Na última temporada, veiculada em 2003/2004, os seis atores principais chegaram a ganhar US$ 1 milhão por episódio. Mas o início da história foi bem diferente: na primeira temporada, em 1994, cada ator recebia US$ 22.500 por episódio. Pelo combinado, o pagamento nos anos seguintes seria de acordo com os índices de audiência e a importância relativa de cada personagem.


Na segunda temporada, os salários variaram de US$ 20 a 40 mil por episódio, com Jennifer Aniston (a Rachel) e David Schwimmer (o Ross) encabeçando a lista. E foi aí que tudo começou a mudar.

Os amigos Lisa Kudrow, Matthew Perry, Jennifer Aniston, David Schwimmer, Courteney Cox e Matt LeBlanc

Nas primeiras temporadas, o elenco era quase desconhecido e o fato de todos terem praticamente a mesma importância fazia com que eles fossem igualmente dispensáveis, caso uma negociação isolada fosse mais complicada do que as outras.


Foi o próprio David Schwimmer que percebeu isso e notou que a força da série estava no conjunto e que, assim, juntos eles teriam mais poder de barganha do que separados.


Então ele propôs aos colegas que fizessem as futuras negociações juntos, em vez de separados. Repare que, além de liderar a iniciativa, Schwimmer provavelmente abriu mão de ser o mais bem remunerado do elenco em benefício de seus colegas.


Embora isso tenha sido um gesto nobre da parte dele, também foi uma jogada de longo prazo. Uma das coisas que Schwimmer queria evitar era que a diferença salarial criasse disputas internas que sempre destroem esses projetos de longo prazo.


Além disso, Schwimmer buscou nivelar as coisas logo no início, quando os valores ainda eram pequenos, ou seja, quando ele próprio tinha menos a perder. Ele se fortaleceu no episódio como um jogador de equipe e isso custou relativamente pouco para ele.

Resumidamente, essas são as lições deixadas por Schwimmer:


  1. Defina logo as regras do jogo. Não espere as negociações avançarem mais do que o necessário para discutir como as decisões serão tomadas. Quanto mais você esperar, mais caras podem ser as concessões.

  2. Cuide dos relacionamentos. Especialmente quando os acordos dependerem de outras pessoas para serem levados adiante, você precisa construir alianças – mesmo que elas tenham um custo inicial.

  3. Divida o risco. Se o que você propõe pode gerar custo para os outros, mostre que você está disposto a pagar o preço – e até a ser o primeiro. Isso traz ainda mais credibilidade à sua proposta.


A estratégia de Schwimmer deu certo e os atores conseguiram, inclusive, participação nos direitos de distribuição de Friends, uma das mais rentáveis de todos os tempos. De bobo, Schwimmer só tinha o personagem...


#aliança #David_Schwimmer #Friends #regras #relacionamento #risco #salário #série #time #TV

  • LinkedIn
  • Facebook
  • YouTube
Fale comigo através do formulário de contato ou escreva diretamente para rodolfo@negociacao360.com.br

© 2019 Negociação 360º  • Todos os direitos reservados • Desenvolvido por Teresa Maita