Gerenciando suas Emoções

Quem nunca explodiu de raiva durante uma negociação – ou uma discussão com um colega ou marido/esposa? Acho que a maioria de nós já teve seu momento de fúria em uma situação em que deveria ter mantido a calma e agido com mais serenidade.

Michael Douglas em Um Dia de Fúria (Warner, 1993)

E aposto que quem já se descontrolou de alguma forma, também se arrependeu amargamente depois, não é? Tipo uma ressaca moral.

Acontece que todos nós somos gente de carne, osso e um sistema nervoso que, de vez em quando, é muito mais nervoso do que sistema. Porque todas as nossas atitudes e comportamentos são permeados de emoções por todos os lados, o tempo todo.

E essas emoções têm grande impacto nas decisões que tomamos – o que interfere diretamente nas nossas negociações e interações do dia-a-dia.

Em um estudo de Norbert Schwarz e Gerald Clore, os voluntários respondiam questionários sobre o quanto estavam satisfeito com suas vidas. O resultado da pesquisa mostrou que quem era entrevistado em dias ensolarados reportava um grau de satisfação maior do que os entrevistados em dias chuvosos.

Os autores mostraram, assim, que fatores ambientais que interferem no estado de espírito das pessoas impactam, também, suas atitudes ao longo do dia.

Ou seja: desde o momento em que você acorda – e assiste às coleções de tragédias no jornal da manhã na TV – passando pelo caminho até o trabalho – dentro de um metrô lotado ou travado em um engarrafamento insano – tudo vai se acumulando para formar o seu humor do dia. E é com ele que você encontra seus colegas, clientes e família, quando volta para casa.

Mas o lado mais interessante do estudo mostrava um equilíbrio nas respostas, quando o entrevistador perguntava “A propósito, como está o tempo aí hoje?”.

Aparentemente, o simples fato de trazer à atenção uma situação potencialmente causadora de estresse já era suficiente para reverter o seu efeito. Isso significa, segundo os autores, que se tivermos consciência dos elementos que podem ter prejudicado o nosso humor durante o dia, já previne boa parte dos seus efeitos.

Assim, antes de entrar em uma reunião ou conversa importante – especialmente se houver alguma possibilidade de ser algo tenso! – faça um breve inventário dos acontecimentos do dia e tente entender se algum deles pode ter impactado negativamente* no seu humor.

Do mesmo modo, procure ajudar seu interlocutor a entender seu próprio estado de espírito, com perguntas do tipo: “E aí, chegou fácil aqui? O trânsito estava bom?” ou “Como está o seu dia até agora?”

Quando falamos de emoções, às vezes o mais efetivo para gerenciá-las é, simplesmente, ter consciência do que está acontecendo, como estamos nos sentindo e, principalmente, quais foram as causas.

____________________
* Não são apenas as emoções negativas que têm impacto em nossas decisões. Se você estiver tendo um dia muito alegre ou feliz, isso pode deixá-lo mais inclinado a ataques de generosidade – o que pode ser igualmente ruim em suas decisões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.